O consumo supérfluo é um consumo de bens e serviços dispensáveis. No consumismo as pessoas gastam tudo aquilo que têm em produtos supérfluos. O consumo supérfluo são bens desnecessários à nossa sobrevivêcia porque, assim dizendo, é mais importante o consumo essencial, como a alimentação na sociedade, do que comprar bijutarias e cosméticos só para a nossa beleza, enquanto à pessoas sem comida, sem abrigo e que nem se preocupam com a beleza.

cosmeticos[1].jpg
imagesCAE396YQ.jpg



<-- Com maquilhagem




Sem maquilhagem-->




Não resistimos quando vemos na telivisão por exemplo um rimmel que põem as pestanas lindas, mas, a isto chama-se publicidade enganosa, pela qual não resistimos, no entanto se tivermos algo de mais importante para comprar e vir-mos uma publicidade que ''brilha aos nossos olhos" vamos logo comprar e gastar dinheiro em algo não necessário e que depois fica arrumado com o resto dos outros cosméticos. Já é um vício comprarmos sempre coisas. Apesar de termos queremos sempre mais e melhor.Daring-Curves-Mascara-Curvadora-de-Cilios[1].jpg <--Publicidade enganosa

Supérfluo fundamental

A água é fundamental para a vida. Entretanto, quando se enche uma piscina, será supérflua desde que a piscina seja utilizada por alguém. Caso ela fique sem uso, será um grande desperdício. Ou seja: a mesma água que é fundamental para a vida pode também ser um desperdício, no caso de uma torneira pingando, ou ser um supérfluo, como quando alguém toma um banho mais demorado, como também devemos reduzir a quantidade de coisas que compramos porque, muitas das vezes deita-mos alimentos fora, não por não os podermos comer, mas, sim porque passaram do prazo.

Quando se fala em fazer planejamento financeiro, muita gente logo pensa que irá precisar cortar todos os supérfluos da vida. Planejar as finanças costuma ser encarado como algo que estraga a vida e não como um processo para melhorar o dia-a-dia das pessoas.Mas o que é o supérfluo para alguém, pode ser um desperdício para outra pessoa. Claro que há algumas definições mais gerais de desperdício, como uma torneira vazando, uma lâmpada acesa sem ninguém no ambiente, um carro desregulado consumindo em excesso ou uma roupa comprada e esquecida no armário.

O mesmo serve para o caso do vinho. A bebida pode causar muitos problemas se consumida sem moderação, mas, o consumo diário em pequena quantidade pode ser benéfico para o bem-estar e para a saúde de quem tem este hábito.

O mesmo acontece com as bicicletas ou com a alimentação:

Se receber uma bicicleta nova com muitas vantagens: freio a disco, amortecedores reguláveis, assim dizendo, itens importantes para quem adora viajar por serras e longas trilhas. E se tinha uma bicicleta velha sem estas vantagens todas, aceitava uma nova claro, mas, na primeira semana saio 2 vezes, na segunda semana chove, e ela fica parada, na terceira, saiu uma vez para um passeio, seis meses depois, já não tenho vontade de andar de bicicleta porque, decidi fazer desporto. A isto chama-se um gasto supérfluo. Também nota-mos outras coisas como por exemplo estar a beber água em algum café ou em outro lugar e em vez de usar-mos um copo normal usa-mos um copo todo requintado de "canudo" ou assim.

o excesso de gente somado ao consumismo são as causas principais da crise ambiental que presenciamos.